para-pais

Bullying: como saber se meu filho sofre ou pratica violência escolar?

9 de março de 2017 Nenhum comentário

Seu filho tem voltado da escola triste? Não gosta mais de sair com os colegas como fazia antes? Ele apresenta hematomas sem dar explicações? Esses podem ser sinais de bullying na escola. Esse tipo de violência prejudica bastante a vida escolar e pessoal das vítimas.

Por outro lado, é preciso também saber identificar o agressor, pois ele necessita de ajuda e deve ser impedido de gerar mais violência no ambiente escolar.

Neste texto você vai conhecer algumas informações fundamentais para detectar o bullying na escola. Confira!

Como saber se seu filho é vítima de bullying?

Uma criança vítima de bullying sempre apresenta sinais disso. A atenção dos pais aos sinais é de suma importância para o diagnóstico e a solução do problema. Vejamos alguns deles:

1. Notas baixas e falta de vontade de ir à escola 

A criança que sofre bullying apresenta uma queda no rendimento escolar. Isso acontece porque a perturbação decorrente da agressão tira o foco dos estudos. Alguns sinais desse baixo rendimento devem ser observados com mais atenção pelos pais.

Por exemplo, quando as notas começam a ficar muito baixas, é preciso ficar alerta. Por não conseguir prestar atenção às aulas, a vítima de bullying não consegue captar o conteúdo de forma plena. Até mesmo nas matérias que ela mais gosta, as notas decaem brutalmente.

Outro sinal é a falta de interesse em ir à escola. Para ficar longe do agressor, a vítima quer evitar voltar ao lugar da agressão. Muitas vezes, essa criança faz birra e não consegue explicar verbalmente o medo de ir para a escola.

2. Sentimento de inferioridade 

Uma criança que sempre foi feliz consigo mesma de uma hora para outra ficar triste é preocupante. Esse pode ser um sintoma de que ela sofre bullying. A baixa autoestima é muito comum nesses casos.

Isso acontece porque o bullying atinge o sujeito como um todo. O agressor faz diversos ataques verbais com termos depreciativos que fazem a vítima perder noção do seu próprio valor como pessoa.

Não é à toa que a criança começa a se isolar. Ela tenta evitar inclusive amigos e membros da família. Ficar trancado sozinho no quarto e não sair mais com os colegas podem ser sinais de que a criança sofre bullying.

3. Sinais físicos sem explicação 

Além dos sinais psicológicos, a criança ameaçada pelo bullying apresenta sintomas no corpo. As agressões físicas são bastante frequentes, mas a vítima costuma não denunciar o agressor.

Sendo assim, os pais devem reparar se seus filhos chegam em casa com roupas rasgadas ou sujas, por exemplo. Além disso, a vítima normalmente relata que tem dores na cabeça e na barriga.

Também é comum o choro com frequência sem demonstrar o motivo e as dificuldades para dormir. Isso tudo acontece por conta das provocações e violência do bullying.

Os pais podem notar ainda, principalmente em filhos adolescentes, o consumo de álcool e outras drogas. Eles podem recorrer às substâncias químicas para tentar fugir do tormento sofrido.

Como saber se seu filho comete bullying?

É importante reconhecer que o outro lado da moeda também existe: a criança que comete bullying. Algumas características são típicas desse tipo de agressor. Os pais devem ficar de olho nos detalhes para tratar o filho o quanto antes. Vejamos dois deles:

1. Popularidade muito elevada

Um sinal bastante típico do agressor é a sua popularidade na escola. Ele vive cercado por pessoas que aparentemente gostam dele, mas que não são realmente amigos dele. Muitas vezes são colegas que também cometem bullying e por isso formam uma espécie de corporativismo.

Porém, mesmo nesse grupo de seguidores existem aqueles que são oprimidos. Esses colegas se submetem aos mandos e desmandos do agressor para contar alguma ou nenhuma vantagem. Por sentirem medo, essas crianças acabam mantendo os privilégios dos agressores no ambiente escolar.

2. Postura violenta em diferentes contextos 

Um outro detalhe para reconhecer um agressor é justamente a sua postura violenta. Ele não briga somente com os colegas, mas também discute com os pais e professores. O agressor parece estar insatisfeito o tempo inteiro, e desconta isso nos outros.

O que os pais devem fazer nos casos de bullying na escola?

Reparar nos sinais físicos, psicológicos e comportamentais é o primeiro passo para identificar o bullying. Ir à escola e conversar com os professores também ajuda a reconhecer esse tipo de violência.

Tendo alguma confirmação de que seu filho sofre ou provoca o bullying, é necessário conversar com a criança. Pergunte como está a escola, como é a relação com os colegas e até mesmo se ela gosta de ficar na companhia de alguém na hora do recreio.

É muito comum que os pais fiquem furiosos ou tristes com a situação do filho, mas é preciso manter a calma e transmitir acolhimento à criança. Afinal, é necessário escutar ao máximo o seu filho para poder encaminhá-lo a um tratamento.

Nos casos das crianças que sofrem o bullying, a terapia é muito recomendada. Com a orientação profissional de um psicólogo ela vai conseguir falar sobre a agressão. Isso porque, em muitos casos, ela não se abre com os pais por ter medo de eles não acreditarem nela ou de sofrer mais ameaças do provocador.

Pode ser que mudar de escola seja uma alternativa necessária. Além do tratamento psicológico, a criança violentada pode precisar se afastar daquele ambiente que guarda lembranças de sofrimento. Assim, ela não vai ter aversão aos estudos porque se sentirá mais segura em outra escola.

No caso dos agressores, é preciso verificar o nível da violência provocada. Às vezes, eles só estão reproduzindo formas de violência que costumam ver em outro lugar. Em situações mais brandas, algumas conversas com a criança conseguem corrigir esse mau comportamento.

É importante que, neste caso, os pais não penalizem o filho sem antes tentar uma solução por meio do diálogo. Além disso, é crucial jamais castigar a criança fisicamente, pois isso gera mais estímulo para a violência. O ideal é dialogar com ela e tentar descobrir o que causa tanta agressividade. Ensinar valores de coletividade, ética e respeito é essencial para barrar o agressor.

No entanto, existem agressores que sentem prazer ao cometer bullying. Isto pode significar um transtorno de conduta. Nesta situação, é essencial buscar ajuda psicológica com muita rapidez.

Em qualquer um dos casos, é importante os pais saberem identificar quando as crianças contam mentiras para esconder algo. Afinal, uma relação saudável tem a ver com a confiança para dizer a verdade sempre.

Achou este texto importante? Compartilhe-o nas redes socais e faça com que mais pais e mães se informem sobre o bullying na escola.

Nenhum comentário

Edições Impressas

Busca por Data

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

ENQUETE DA SEMANA

A matéria de capa da edição 105 fala sobre o aumento no nível de CO2 na atmosfera. Você acha que conseguiremos frear o aquecimento global?

TV Joca

Apoio