brasil

Conheça seis artistas da Semana de Arte Moderna

13 de fevereiro de 2019 1 comentário

De 13 a 18 de fevereiro de 1922, a cidade de São Paulo recebeu a Semana de Arte Moderna, no Theatro Municipal. O evento marcou o começo do modernismo no Brasil, movimento que rompeu com a tradição clássica e buscava inovar a arte do país.

Cada dia da semana foi dedicado a uma técnica: pintura, escultura, poesia, literatura e música. Apesar de não ter tido muita repercussão na época, ela foi um marco cultural do século 20 e apresentou novas ideias no mundo da arte.

Conheça alguns artistas que participaram da Semana de Arte Moderna:

Heitor Villa-Lobos

Foi um maestro e compositor brasileiro, considerado um dos representantes da música clássica no Brasil. Mesmo depois do falecimento de Villa-Lobos, as peças dele continuam sendo tocadas ao redor do mundo. Em sua apresentação na Semana de Arte Moderna, o compositor chegou calçando um sapato em um pé e um chinelo no outro. Muitas pessoas acharam a atitude desrespeitosa, mas ele disse que teve que usar o calçado aberto porque tinha um calo no pé.

Anita Malfatti

“A Boba”, quadro pintado por Anita Malfatti entre 1915 e 1916

Pintora, desenhista, gravadora, ilustradora e professora, Anita Malfatti viveu de 1889 a 1964. Participou da Semana de Arte Moderna expondo 20 trabalhos que apresentavam um novo tipo de arte, carregado de significados. Por inovar na estética, a artista foi muito criticada pelas obras.

Di Cavalcanti

“Cinco Moças de Guaratinguetá” (1930), uma das obras mais famosas do artista. Foto: Masp/divulgação

Foi o marido de Anita Malfatti e trabalhou, principalmente, como desenhista, cartunista e jornalista. Suas obras tratavam de temas tipicamente brasileiros, como samba, praias e Carnaval, e eram cheias de sentimentos e expressões dos personagens retratados.

Oswald de Andrade

O livro “Pau-Brasil” é um conjunto das obras mais importantes de Oswald de Andrade, um dos principais artistas do modernismo brasileiro. Foto: Editora Globo/divulgação

Oswald de Andrade foi um escritor e dramaturgo brasileiro, além de um dos principais líderes da implantação do modernismo do país. Os trabalhos dele buscavam a origem da cultura brasileira, mas sem deixar de lado uma visão crítica sobre a desigualdade e os outros problemas do país. Uma de suas principais obras, “Manifesto Antropofágico” (1924), defendia que era necessário “engolir” a cultura europeia e transformá-la em algo bem brasileiro, em vez de apenas reproduzir padrões estrangeiros.

Mário de Andrade

“Pauliceia Desvairada” foi publicado no mesmo ano em que ocorreu a Semana de Arte Moderna. Foto: Ciranda Cultural/divulgação

Apesar de não ter nenhum parentesco com Oswald de Andrade, os dois compartilhavam algo em comum, além do sobrenome: foram alguns dos mais importantes artistas do modernismo brasileiro. No movimento, o maior objetivo de Mário era se libertar do modernismo da Europa e chegar a uma linguagem nacional própria do Brasil. Para inspirar suas obras, o autor fez várias viagens pelo país, a fim de conhecer o território e suas características.   

Tarsila do Amaral

Pelas cores vibrantes e pelos formatos irregulares de objetos reais, “Abaporu” (1928) é o quadro mais revolucionário da artista. Foto: site oficial Tarsila/divulgação

Assim como o marido, Oswald de Andrade, Tarsila acreditava que o modernismo brasileiro tinha que ser algo característico do país, e não apenas inspirado na cultura europeia. O quadro mais famoso da pintora é “Abaporu”, resultado de imagens de seus sonhos e de algumas lembranças da infância, que vinham à mente quando ouvia histórias.

Fontes: Arte Ref, Brasil Escola, eBiografia, Enciclopédia Itaú Cultural, Guia da Semanasite oficial de Tarsila do Amaral e Toda Matéria.

1 comentário

  1. JOÃO GUTEMBERG CHAGAS says:

    eu deveria entrar nessa exposição de arte eu desenho muito bem

Edições Impressas

Busca por Data

abril 2019
S T Q Q S S D
« mar    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

ENQUETE

Qual é a sua seção preferida no Joca?

TV Joca

Apoio