brasil

Mutirões de limpeza de praias recolhem grande quantidade de resíduos

14 de fevereiro de 2019 4 comentários

Participantes usam luvas e sacos de lixo para limpar a praia de Leste, no Paraná. Foto: Divulgação

Por Joanna Cataldo

“Recolhi sacolas, garrafas, potes, chinelo, cigarro…”, conta Jenifer V., de 13 anos, uma das integrantes de um mutirão de limpeza que aconteceu em junho de 2018, na praia de Leste, no Paraná.

Organizada pela ONG Parceiros do Mar, a ação teve a participação de crianças e adolescentes da organização não governamental 5C Cultural, que, após serem divididos em grupos e receberem a orientação dos monitores, saíram coletando os resíduos jogados pelos frequentadores.

Ao todo, a mobilização, com a presença de adultos e 23 crianças, recolheu mais de 50 sacos de lixo grandes da praia. “Só a minha equipe recolheu três”, conta Jenifer.

Mesmo quem já havia participado de mutirões de limpeza de ruas relata que a experiência de limpar a praia é diferente. Cauã B., de 9 anos, por exemplo, participou de uma ação de limpeza em uma rua do município de Paranaguá, no Paraná, e diz que encontrou mais resíduos na areia do que na rua. “Na praia foi um pouco mais difícil porque o espaço era maior. Encontrei pedaços de pau, garrafas de vidro e bitucas de cigarro”, diz.

Como fazer com que as pessoas parem de jogar lixo?

Para conscientizar a população, a ONG baiana Rede Viva Mar Vivo começou a promover, no início de fevereiro, a campanha O Mar Não Está Para Peixe, uma iniciativa que inclui ações relacionadas ao descarte de lixo na praia. “Sentimos necessidade de conscientizar o cidadão comum, usando uma linguagem descomplicada para que ele entenda o problema que estamos enfrentando”, explica William Freitas, presidente da Redemar.

O ponto de partida da campanha foi em 8 de fevereiro, quando o ambientalista e cofundador do Instituto Ecosurf, João Malavolta, deu uma palestra sobre os impactos dos resíduos nas praias. O evento, realizado no Centro Cultural Casa da Música, na Bahia, era aberto para pessoas de todas as idades.

Parte do lixo recolhido na ação na praia de Itapuã, na Bahia. Foto: Divulgação

Depois, a campanha passou para o passo seguinte: realizar mutirões de limpeza nas prais de Itapuã, Boa Viagem e Buracão, na Bahia. O grupo foi separado em equipes, e cada uma ficou responsável por um material específico – garrafas, plásticos, bitucas de cigarro, etc. – colocando os resíduos em baldes.

Apenas na ação de Itapuã, de 9 de fevereiro, foram recolhidas 505 tampas de garrafa PET, 293 copos plásticos e 273 canudos. “Em 2050, vamos ter mais plásticos do que peixes. O lixo não é marinho, ele foi jogado no mar. A campanha surgiu da necessidade de gritar para o mundo que não podemos deixar o plástico chegar ao mar”, explica William.

Como organizar um mutirão?

A Organização das Nações Unidas (ONU) lançou um guia com um passo a passo de como os cidadãos comuns podem organizar grupos para limpar praias, rios, mangues, dunas e ilhas. O guia completo pode ser acessado neste link: http://bit.ly/guiapraias.

“Tudo que é fabricado pelo homem e não tem a capacidade de se biodegradar na natureza pode prejudicar o meio ambiente. Os plásticos, por exemplo, podem matar animais marinhos, que ingerem esses materiais ou ficam presos neles”, explica Fernanda Daltro, chefe de campanha da ONU Meio Ambiente, ao citar um dos problemas causados pelo descarte inadequado desse tipo de material.

Gaivota se aproxima de garrafa de vidro jogada na areia. Foto: Divulgação

Para Fernanda, mais do que tirar o lixo de determinado ambiente, os mutirões servem para conscientizar a população e mudar hábitos que podem ser prejudiciais à natureza. “Quando alguém participa de uma limpeza de praia, sua atenção fica focada em encontrar o lixo – que pode ser grande como uma garrafa ou sacola ou pequeno como um pedacinho de plástico ou papel de bala. A pessoa perceberá quanto lixo tem ali. Depois, ela nunca mais conseguirá ir à praia sem se preocupar com o lixo jogado incorretamente.”

Versão ampliada de matéria publicada na edição 125 do Joca.

4 comentários

  1. JOÃO GUTEMBERG CHAGAS says:

    Ola! tenho gostado muito de ler o Joca com meu filho! Essa matéria é muito importante, busco uma ação como essa para participar com ele no Rio – RJ. parabéns a todos os envolvidos!

  2. Amelie Pelegrinelli Fernandes says:

    #temosqueajudaromundo

  3. Escola Municipal Thereza Favali Pocay says:

    Olá, nós alunos da Escola Municipal Professora Thereza Favali Pocay gostamos muito de ler esta notícia. Ficamos impressionados com a quantidade de lixos nesta praia. Sabemos que o lixo pode prejudicar o meio ambiente, a vida aquática e terrestre. Parabenizamos as crianças e adultos envolvidos nesta ação. Sugerimos que vocês publiquem mais ações como esta em outras praias do Brasil.
    Atenciosamente,
    Alunos do 5º ano C

  4. South Hills Middle School says:

    #temosqueajudaromundo

Edições Impressas

Busca por Data

abril 2019
S T Q Q S S D
« mar    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

ENQUETE

Qual é a sua seção preferida no Joca?

TV Joca

Apoio