Ir para edições impressas para cego ver

Brasil

Conheça o trabalho de uma psicóloga

27 de agosto de 2019 2 comentários
Arte homenageia Dia do Psicólogo. Arte: Beatriz Lopes

Arte homenageia Dia do Psicólogo. Arte: Beatriz Lopes

Em 27 de agosto, comemora-se o Dia do Psicólogo. Para celebrar a data, o Joca entrevistou a psicóloga Natércia Tiba, a especialista da seção “Canal aberto”, do jornal impresso.

Natércia é uma psicóloga clínica, ou seja, atende pacientes em um consultório, localizado na cidade de São Paulo. Lá ela recebe pacientes de todas as idades e os ajuda a lidar com problemas que afetam o cotidiano deles.

A psicóloga Natércia Tiba

A psicóloga Natércia Tiba atende pessoas de todas as idades. Foto: Divulgação

A forma como as sessões funcionam pode variar. Há encontros em que as pessoas conversam com Natércia sobre o dia a dia e questões que as preocupam. Já nas sessões com crianças, os pacientes, além de conversar, podem jogar e fazer atividades divertidas, para que recebam ajuda da profissional de maneira lúdica.

Na entrevista abaixo, Natércia explica para os leitores do Joca como funciona a terapia para crianças e fala sobre o dia a dia de um psicólogo. Confira.

Como a terapia pode ajudar as crianças?
A terapia auxilia para mostrar para os pais o que a criança tem vivido e o que tem gerado sofrimento, angústia, ansiedade… Muitas vezes, ajuda a criança a lidar com algumas situações, como separação de pais, falecimento de alguém, problemas de relacionamento na escola, entre outros. O modo como lidar com a criança depende da forma de trabalho do terapeuta. Eu trabalho muito com contação de histórias, teatrinhos… Várias atividades lúdicas para que ela possa aprender a encarar situações que viverá fora do consultório.

Que outras formas de terapia para crianças existem?
Na terapia para crianças, há a parte lúdica e a parte de diagnóstico [identificação de um problema]. Há testes, por exemplo, em que o psicólogo mostra uma imagem e a criança conta uma história a partir do que está vendo. Isso mostra como ela interage com o mundo. Essas atividades são uma maneira de extrair o que está acontecendo com a criança, já que ela ainda não tem capacidade de expor o que está sentindo do mesmo modo que um adulto.

Arte mostra o que um psicólogo pode fazer. Arte: Beatriz Lopes

Arte mostra o que um psicólogo pode fazer. Arte: Beatriz Lopes

Em que casos os pais devem colocar os filhos na terapia?
Quando a criança é pequena, eu sugiro que os pais façam algumas sessões de terapia primeiro, antes dos filhos. De 60% a 70% dos casos, nós resolvemos dando orientação para os pais, nem precisa que a criança seja atendida. O jovem deve começar um tratamento quando os problemas estão tornando a vida dele um pouco disfuncional, como quando a criança não consegue ir para a escola, não cumpre a rotina, vive em um ambiente com muitas brigas ou tensão. Essas coisas afetam o jeito como ela lida com os outros e os outros lidam com ela. A terapia é uma forma de acabar com o sofrimento de maneira mais rápida.

Como é seu dia a dia como psicóloga?
Eu recebo, em média, de oito a dez pessoas por dia. Atendo adultos, casais, famílias, crianças e adolescentes. A sala em que eu as recebo parece muito com a sala de uma casa. O ambiente de trabalho precisa ser saudável para o terapeuta, porque é muito solitário ficar lá o dia inteiro. Por mais que passem várias pessoas por lá, elas vêm e vão. Quando ia escolher a profissão que gostaria de seguir, pesou para mim o fato de que, como psicóloga, eu poderia ter a minha própria agenda [ela mesma poderia escolher os horários em que trabalharia]. Essa possibilidade é muito boa. Além disso, eu sou muito disponível pelo telefone, WhatsApp… Meu trabalho não se limita ao consultório, eu sempre estou ligando para pais, responsáveis, escolas, entre outros. Eles podem me contatar em horas diferentes para falar sobre um paciente. Também acho interessante atender por Skype. Isso acontece quando uma pessoa vai morar fora, por exemplo.

Psicólogo atendendo paciente

Os psicólogos podem anteder pessoas de idades variadas. Foto: Getty Images

O que é necessário para ser um bom psicólogo?
A base de tudo é entender o desenvolvimento humano. Tudo o que dá suporte para compreender a pessoa e como olhar para ela. Você também tem que estudar filosofia, que, na minha opinião, é fundamental para entender as angústias, os questionamentos feitos pela humanidade até hoje. É muito importante entender compreender o que vem fazendo o ser humano sofrer ao longo da história. Além disso, é relevante conhecer os métodos que a psicologia desenvolveu para tratar as pessoas e é fundamental que o terapeuta faça terapia com outro profissional. Como é uma área em que você nunca para de estudar, é importante se atualizar, ir a congressos e fazer cursos. Além disso, precisa ter boa capacidade para se relacionar com os pacientes e disponibilidade para entender aquilo que a pessoa sente e faz. Ao mesmo tempo, o psicólogo não pode ter preconceitos e deve ser capaz de aceitar o mundo do outro. É essencial entender a dor alheia e ter compaixão, para achar uma solução para essa dor.

Para ajudar um paciente, vocês fazem um estudo da pessoa antes de atender?
Eu costumo dizer que a psicologia não é um conhecimento que você aplica, é uma forma como olhar o mundo. O paciente vai falando as coisas e você já vai analisando. Você não anota as questões e pensa depois. Tudo acontece ali, no momento do atendimento. Quando a pessoa ainda é nova na profissão, é comum gostar de discutir o caso de um paciente com um supervisor, um terapeuta formado.

Confira depoimentos de crianças que fazem terapia 

“Eu converso, falo dos meus problemas e no que eu preciso de ajuda. Depois, nós jogamos. Eu gosto de fazer terapia porque me ajuda a resolver as minhas questões. Eu recomendaria terapia para um amigo. Pode ajudar com problemas de sono, medo e amizade.” Helena K., 10 anos.

“Eu acho a terapia muito legal, ajuda a falar o que eu sinto. Eu converso com a minha terapeuta e ela me ajuda a resolver os meus problemas. Hoje, eu só converso, mas, quando era mais nova, conversava e jogava nas sessões.” Preferiu não se identificar, 9 anos.

2 comentários

  1. Júlia Guimarães de Toledo says:

    Amei essa reportagem ela é demais!

  2. Júlia Guimarães de Toledo says:

    MUUUUUIIIITOOOOOOO LEGALLLLLLLLL
    ADOREI VER COMO E UM TRABALHO DE UM PCICOLOGO!

Edições Impressas

E você? O que pensa?

Busca por Data

setembro 2019
S T Q Q S S D
« ago    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

ENQUETE

O que você mais gosta de fazer com seus pais ou responsáveis?

TV Joca

Apoio