cultura

Um fenômeno das artes chamado Aelita Andre

19 de maio de 2017 Nenhum comentário

Aos 10 anos, Aelita Andre é considerada a pintora mais jovem do mundo. A menina, que nasceu em 2007, em Melbourne, na Austrália, tem fãs espalhados por todos os continentes.

Aelita fez o primeiro quadro aos nove meses, quando engatinhou até algumas telas e tintas usadas pelo pai, o australiano Michael Andre, que pintava como passatempo. Ela é filha dele com a russa Nikka Kalashnikova.

Ela fez a primeira exposição, The Prodigy of Color, quando tinha 2 anos, na Galeria BSG, em Melbourne, sem que o curador da exposição soubesse a idade ela. Em menos de sete dias, todos os quadros foram vendidos. Ela também foi a artista mais jovem a realizar uma exposição individual em um museu, na famosa Academia Russa de Fine Arts. As pinturas também incluem sons. Ela incorpora o violino em muitos trabalhos, tanto durante a criação como nas obras, rompendo os limites tradicionais de um artista visual.

A menina já expôs quadros em grandes galerias do mundo, incluindo duas exposições em Nova York, nos Estados Unidos. Nas duas oportunidades teve todos os quadros vendidos. Além de Nova York, Aelita já expôs em Londres, na Inglaterra, em Hong Kong, na China, no Japão e em São Petersburgo.

Quadro Moon Beams | 2011

Os quadros da australiana retratam a arte expressionista abstrata, movimento que surgiu nos Estados Unidos, após a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

As obras de Aelita são comparadas com as do norte-americano Jackson Pollock (1912-1956), que não usava pincéis e desenvolveu uma técnica chamada dripping (gotejamento, em português), na qual respingava a tinta sobre as telas e os pingos formavam traços entrelaçados e harmoniosos.

Quadro Galaxy, de Jackson Pollock

No Brasil, a arte abstrata se destacou em 1951, com artistas como Antônio Bandeira (1922-1967), Ivan Serpa (1923-1973) e Iberê Camargo (1914-1994).

Depois de conhecer a artista australiana Aelita Andre, aprenda e se divirta com as dicas das professoras do Colégio Motiva, em João Pessoa (PB), Lygia Fernanda e Vânia Mirah.

Atividade 1

Selecione e limpe pequenos objetos como tampas de garrafas, canetas usadas, clipes, embalagens, papéis coloridos etc. Utilize um bloco de pintura 300 g/m2 Canson para a base do trabalho.

Com tinta guache, pinte todo o papel, utilizando pincéis e esponja. Cole os pequenos objetos em toda a folha, buscando um equilíbrio. Com cola dimensional de diversas cores, complemente o trabalho com linhas curvas, retas, onduladas, pontilhadas, tracejadas, quebradas e formas geométricas. Finalize o trabalho com sua assinatura.

Atividade 2

Pesquise sobre as festas da cultura brasileira que acontecerão no período do mês de junho. Depois, imagine de que maneira você gostaria de retratar uma dessas manifestações culturais: cores, texturas, materiais diversificados e, em seguida, produza um esboço dessa representação, registrando os produtos que serão utilizados na produção final.

Logo após, faça a representação que planejou, acrescentando todo o material diversificado escolhido, indicando a festa cultural que retratou, em que regiões brasileiras ela acontece e, pelo menos, três características que ela apresenta. Por fim, faça a exposição da produção artística realizada.

Nenhum comentário

Edições Impressas

Busca por Data

dezembro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

ENQUETE DA SEMANA

A matéria de capa da edição 105 fala sobre o aumento no nível de CO2 na atmosfera. Você acha que conseguiremos frear o aquecimento global?

TV Joca

Apoio